Abra a seleção de línguaOpen language selection Português Menu Pesquisar
Doar

Poluição do ar no interior

Poluição do ar no interior

Poluição do ar no interior é um termo utilizado para descrever a exposição a determinadas substâncias que se encontram em casa, na escola, nos transportes e nas estações de metro. Detetaram-se mais de 900 compostos diferentes no ar interior e alguns poluentes podem estar 2-5 vezes mais concentrados no interior do que no exterior dos edifícios. 

Infografia da poluição do ar no interior PDF Transfira a nossa infografia para ver os pontos fundamentais sobre a poluição do ar no interior

ERS This material is a summarised version of the European Lung White Book, which can be accessed online.

  • O que é?

    Poluição do ar também se pode encontrar no local de trabalho, mas esta habitualmente é estudada em separado pelos peritos e designada dentro dos riscos para a saúde “relacionados com o trabalho ou ocupacionais”

    A poluição do ar no interior pode ser gerada por uma diversidade de fontes:

    ATIVIDADE HUMANA

    • Tabagismo
    • Combustível para aquecimento e para cozinhar
    • Materiais de limpeza

    CONSTRUÇÃO

    • Construção inadequada
    • Ventilação inadequada

    ALERGÉNIOS

    • Animais de estimação
    • Plantas
    • Humidade
  • Efeitos nocivos

    As pessoas passam a maior parte do tempo no interior, pelo que a qualidade do ar no interior pode ter um impacto fundamental na saúde. 

    MATÉRIA PARTICULADA (MP)

    São partículas minúsculas que são largamente originadas pelo fumo de tabaco. A investigação mostrou que até 50-90% do total da concentração total de matéria particulada no ar interior é originada pelo fumo de tabaco. Sabe-se que causa asma e pieira, sobretudo nas crianças. A investigação mostrou que houve um aumento de 6-7% nos sintomas e pieira durante a noite nas crianças asmáticas para cada aumento de 10 μg.m3 na MP2.5 no interior.

    Os diferentes tipos de matéria particulada medem-se pelo tamanho. Por exemplo, MP10 refere-se a matéria particulada com um tamanho até aos 10 micrómetros.

    Os níveis de poluição do ar medem-se através da respetiva massa/volume de emissão. A medida utilizada habitualmente é o número de microgramas de poluição por metro cúbico. O símbolo é: μg/m3

    COMBUSTÍVEIS DE BIOMASSA

    Os combustíveis de biomassa são emitidos por fogos e fornos abertos. Cerca de 50% da população utiliza combustíveis de biomassa para cozinhar, para o aquecimento e para a iluminação, sobretudo nos países menos desenvolvidos. 

    Os combustíveis de biomassa produzem níveis elevados de matéria particulada e monóxido de carbono (CO). 

    A investigação da carga de doença de diferentes riscos indica que em 2010 o número de mortes atribuíveis à poluição do ar dentro de casa a partir de combustíveis sólidos, em todo o mundo, foi de 3 546 399, representando mais de 50% das mortes atribuíveis à poluição do ar devido a matéria particulada e ozono.

    Sabe-se ainda que os combustíveis de biomassa são um fator de risco para as infeções pulmonares, doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), asma, cancro do pulmão e, ocasionalmente, tuberculose (TB).

    A investigação mostrou que se os combustíveis de biomassa forem utilizados no interior há:

    • Aumento de 3,5 vezes no risco de infeções pulmonares agudas nas crianças
    • Aumento de 2,5 vezes no risco de bronquite crónica nas mulheres
    • Aumento de 2,8 vezes no risco de DPOC
    • Aumento de 2,3 vezes no risco de bronquite crónica em todos os adultos

    ÓXIDO DE AZOTO  (NO2)

    O óxido de azoto no interior é gerado por aparelhos de cozinha e aquecimento a gás. Foi relacionado com pieira, falta de ar, aperto no peito e tosse. É difícil determinar o impacto do óxido de azoto, uma vez que os níveis de exposição variam dependendo de quando os aparelhos estão a ser utilizados. 

    COMPOSTOS ORGÂNICOS VOLÁTEIS (COV)

    Os compostos orgânicos voláteis são gerados a partir de substâncias químicas como desinfetantes, pesticidas, cosméticos, ambientadores de ar e soalho de vinil. Podem causar um leque enorme de doenças, desde irritações ligeiras a doenças muito graves, incluindo cancro. 

    Os impactos na saúde dos compostos orgânicos voláteis incluem: 

    • Aumento de 11 vezes no risco de bronquite crónica com a exposição ao formaldeído, utilizado nos materiais de construção como a madeira prensada.
    • Aumento de 17% no risco de asma nas crianças por cada aumento de 10 mg/m3 na concentração de formaldeído
    • Aumento de até 3,4 vezes no risco de pieira persistente com a exposição a plásticos

    Pensa-se que o risco de desenvolver asma aumente 1,2-2,9 vezes com a exposição a todos os compostos orgânicos voláteis. 

    Os compostos orgânicos voláteis também foram relacionados com função pulmonar reduzida, corrimento no nariz e infeções pulmonares nos bebés e crianças. 

    RÁDON

    Ocorre naturalmente nas rochas, solo, tijolos e betão. É a segunda principal causa de cancro do pulmão, após o tabagismo. A investigação mostrou que o aumento nos níveis de rádon faz aumentar o risco de desenvolver cancro do pulmão. 

    Nos EUA, 2100-2900 casos de cancro do pulmão por ano, em pessoas que nunca fumaram, estão relacionados com a exposição ao rádon. No Reino Unido, cerca de 1100 mortes devido a cancro do pulmão por ano estão relacionadas com o rádon. 

    ALERGÉNIOS

    Os alergénios incluem substâncias como o pó e podem ser originados a partir de fontes como carpetes, animais de estimação, roedores ou plantas. 

    Pensa-se que a exposição precoce ou elevada a alguns alergénios, como os alergénios dos gatos, possa ter um efeito protetor contra a asma e a pieira. No entanto, outra investigação relacionou os alergénios com o desenvolvimento de asma ou alergias e com aumentos no risco de doença nas pessoas que já são asmáticas.  É necessária mais investigação para compreender as diferentes interações que os alergénios podem ter com o sistema imunitário. 

    HUMIDADE E BOLOR

    A humidade e bolor acumulam-se nas paredes e podem encontrar-se na mobília. Pensa-se que esteja presente em 10-50% das casas. Os bolores são uma fonte de alergénios e podem aumentar o risco de problemas relacionados com a asma em 30-50%. Também estão relacionados com falta de ar, infeções pulmonares, bronquite e corrimento no nariz. 

  • Carga

    • A poluição do ar no interior é o 8.º fator de risco mais importante para a doença e é responsável por um valor estimado de 2,7% da carga global da doença
    • Entre 1,5 a 2 milhões de mortes por ano podem estar relacionadas com a poluição do ar no interior
    • Cerca de 50% da população mundial (cerca de 3 mil milhões de pessoas) está exposta a poluição do ar no interior, proveniente de fogo aberto e fornos de cozinha a lenha 
    • Nos EUA, entre 2100 a 2900 casos de cancro do pulmão em não fumadores estão relacionados com a exposição ao rádon
  • Necessidades atuais e futuras

    Há muitas medidas que podem implementar-se para melhorar os problemas associados à poluição do ar no interior:

    • Trocar os fornos a lenha por fornos mais eficientes, com menos poluição
    • Melhor ventilação nos edifícios das casas e escolas
    • Dispositivos que limpam o ar, chamados purificadores do ar
    • Sistemas de aquecimento não poluentes
    • Educação sobre os alergénios
    • Os estudos mostraram que a instalação de sistemas de aquecimento não poluentes nas casas das crianças com asma pode reduzir os sintomas da asma, os dias de escola perdidos e as consultas no médico ou idas ao farmacêutico