Abra a seleção de línguaOpen language selection Português Menu Pesquisar
Doar

Poluição do ar no exterior

Poluição do ar no exterior

O termo “poluição do ar” refere-se às partículas nocivas suspensas no ar, ou gases na atmosfera, que podem ser respirados. É uma mistura que inclui partículas, ozono, óxidos de azoto, compostos orgânicos voláteis e monóxido de carbono. A mistura é diferente consoante o local, a época do ano e as fontes de poluição na área.

Infografia da poluição do ar no exterior PDF Transfira a nossa infografia para ver os pontos fundamentais sobre a poluição do ar no exterior

ERS This material is a summarised version of the European Lung White Book, which can be accessed online.

  • O que é?

    A poluição do ar provém de:

    • Processos naturais: como erupções vulcânicas, tempestades de areia no desertoAtividade humana: incluindo a queima de combustíveis em automóveis, camiões e aviões, atividade industrial, centrais elétricas e sistemas domésticos de aquecimento e cozinha
    • Processos naturais: como erupções vulcânicas, tempestades de areia no deserto
  • Efeitos nocivos

    A poluição do ar tem um impacto negativo na saúde humana e a exposição pode afetar 100% da população, desde os bebés antes de nascerem às pessoas muito idosas. Os pulmões são o primeiro ponto de entrada para a poluição do ar no organismo, sendo portanto o primeiro órgão afetado. Pensa-se que os danos nos pulmões sejam causados por stress oxidativo e inflamação. A poluição tem ainda um efeito grave no coração e no sistema circulatório e aumenta o risco de ataques cardíacos.   

    A poluição do ar afeta as pessoas de diferentes formas. Fatores como problemas de saúde atuais, idade, capacidade pulmonar, estilo de vida e tempo passado ao ar poluído podem influenciar a forma como os poluentes afetam a saúde em geral.

    Há muitos poluentes diferentes no ar. As interações entre estes poluentes e os diferentes níveis de poluição podem produzir um leque de efeitos na saúde, tanto a curto prazo (dentro de horas e dias) como a longo prazo (ao fim de alguns anos).

    Não há um único poluente isolado que seja responsável por todos os efeitos adversos. As consequências devem-se a toda a mistura.

    Os diferentes tipos de matéria particulada medem-se pelo tamanho. Por exemplo, MP10 refere-se a matéria particulada com um tamanho até aos 10 micrómetros.

    Os níveis de poluição do ar muitas vezes medem-se através da respetiva massa por volume de ar. A medida utilizada habitualmente é o número de microgramas de poluição por metro cúbico. O símbolo é: μg/m3

    PROBLEMAS A CURTO PRAZO

    Sabe-se que a poluição do ar desencadeia ataques cardíacos nas pessoas com doenças cardiovasculares e que exacerba sintomas para as pessoas que já sofrem de doenças pulmonares, como por exemplo asma e doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC).

    Os estudos mostraram um aumento na pieira, tosse e ataques de falta de ar, com uma redução na função pulmonar e a necessidade de medicação quando os níveis de poluição aumentam.

    A investigação mostrou um aumento nas consultas médicas, deslocações às Urgências no hospital e internamentos hospitalares devido a asma e doenças de coração, como ataques cardíacos, nos dias com níveis de poluição mais elevados. Os registos de saúde também mostram mais casos de morte devido a estes problemas nos dias com níveis de poluição mais elevados. 

    PROBLEMAS A LONGO PRAZO

    A exposição durante toda a vida à poluição do ar pode ter um leque de efeitos nos adultos e crianças, levando a problemas a longo prazo, como por exemplo asma, bronquite crónica e doenças do coração. A poluição mostrou diminuir a esperança de vida devido a uma morte mais precoce causada por doenças cardiovasculares e respiratórias e por cancro do pulmão. 

    As crianças são em geral mais ativas, envolvem-se em mais atividades ao ar livre do que os adultos e respiram mais rapidamente, mesmo com um nível de atividade equivalente. Em consequência, inalam mais poluição. Além disso, o sistema imunitário das crianças ainda não está inteiramente desenvolvido e os pulmões ainda estão em crescimento. A poluição do ar mostrou comprometer o crescimento dos pulmões nas crianças, o que irá ter um impacto para o resto da vida. 

    EFEITOS A LONGO PRAZO EM CRIANÇAS E ADULTOS: 

    CRIANÇAS

    • Tosse
    • Bronquite aguda
    • Volumes pulmonares inferiores
    • Asma 

    ADULTOS

    • Tosse crónica
    • Expetoração
    • Pieira
    • Perda acelerada de função pulmonar
    • Cancro do pulmão

     Este gráfico mostra de que forma os sintomas seguem as taxas de poluentes relacionados com o trânsito junto à estrada, como por exemplo as partículas ultrafinas, resíduos de gasóleo, monóxido de carbono e outros poluentes primários. Estas associações existem mesmo quando se eliminam outros fatores de risco.

  • Carga

    Uma grande proporção da população na Europa vive em áreas com uma qualidade do ar no exterior pouco saudável e, por conseguinte, não consegue evitar a exposição e os efeitos nocivos da poluição. Para alguns poluentes em determinadas áreas a situação não está a melhorar ou está a agravar-se..

    Vários estudos mostraram que a redução da poluição do ar pode diminuir o custo destas doenças e aumentar a esperança de vida.

    A investigação mostrou que:

    • As mortes por doença aumentaram em 0,6% por aumento de 10 μg.m3 na concentração diária de MP 10
    • As admissões nas Urgências e no hospital devido a asma aumentaram em 1% por aumento de 10 μg.m3 na concentração diária de MP 10
    • 8% de aumento no número de casos de cancro do pulmão por aumento de 10 μg.m3 na exposição a longo prazo à MP
    • 3,7% de aumento no número de casos de cancro do pulmão por aumento de 10 μg.m3 na exposição a longo prazo a NOx
  • Necessidades atuais e futuras

    • Viver perto de uma estrada movimentada aumenta o risco de uma criança desenvolver asma e o planeamento urbano precisa de considerar a proximidade das casas e escolas ao trânsito rodoviário
    • A evidência atual mostra que é necessária uma ação urgente para lidar com a poluição do ar na Europa
    • A UE deve implementar as orientações de qualidade do ar recomendadas pela OMS para o ar no exterior – através de uma revisão ambiciosa dos valores-limite para a poluição do ar ambiente
    • Todos os países europeus devem apoiar a Declaração de Parma sobre o Ambiente e a Saúde, da OMS, e reforçar esforços no sentido de reduzir as fontes de poluição de todos os setores – indústria, transportes e energia
    • Os Estados-Membros da UE têm de tornar a qualidade do ar uma parte integral das suas políticas de transporte, indústria e energia e assegurar que o nível correto de governação – nacional, regional ou local – está equipado para lidar com as fontes de poluição
    • Os Estados-Membros necessitam ainda de melhorar a cooperação no que respeita à poluição transfronteiriça