Abra a seleção de línguaOpen language selection Português Menu Pesquisar
Doar

Fatores de risco ocupaciona

Fatores de risco ocupaciona

“Fatores de risco ocupacional” é um termo utilizado para descrever os efeitos nocivos da respiração de várias partículas, gases, vapores ou fumos no local de trabalho. Estes diferentes fatores costumam designar-se como “agentes”. 

Infografia dos fatores de risco ocupacional PDF Transfira a nossa infografia para ver os pontos fundamentais sobre os fatores de risco ocupacional

ERS This material is a summarised version of the European Lung White Book, which can be accessed online.

  • O que é?

    Existem orientações na União Europeia relativas ao local de trabalho para assegurar que há limites para estes agentes nocivos conhecidos. Estes são decididos pelo Comité Científico sobre Limites de Exposição Ocupacional (SCOEL) da Comissão Europeia. Assegurar níveis seguros de vários agentes perigosos é um desafio contínuo.

    Este capítulo irá apresentar informação sobre os principais fatores desencadeadores e causas das doenças pulmonares relacionadas com o trabalho. Visite a secção de cada doença para obter mais informação sobre os sintomas e tratamento das doenças pulmonares relacionadas com o trabalho. 

  • Efeitos nocivos

    Os efeitos da exposição aos agentes no local de trabalho podem levar a várias doenças problemas a curto prazo diferentes, relacionados com os pulmões. Os danos causados pela exposição variam de pessoa para pessoa e estão dependentes do tempo de exposição, do nível de exposição e de outros fatores, como por exemplo se a pessoa é fumadora ou tem alguma doença preexistente, ou se utiliza equipamento de proteção no local de trabalho.

    Para alguns agentes, é necessário um nível elevado de exposição ao longo de um período prolongado para causar uma doença pulmonar. No entanto, a exposição a alguns materiais (por ex., amianto) durante algumas semanas pode causar doença anos mais tarde.

    ASMA OCUPACIONAL

    A asma é a doença mais frequente causada por fatores no local de trabalho. Os fatores de risco ocupacional também podem agravar uma asma já existente.

    Conhecem-se entre 350 e 400 agentes diferentes que causam asma ocupacional. Estes incluem agentes desde vegetais ou animais e agentes de metais, corantes e produtos químicos. 

    Alguns dos principais agentes incluem:

    • Ácaros (carraças, ácaros do pó)
    • Anidridos
    • Algas
    • Aminas aromáticas
    • Artrópodes
    • Di-isocianatos
    • Enzimas biológicas
    • Medicamentos
    • Crustáceos, marisco, peixe
    • Materiais de fusão
    • Farinha
    • Fungicides
    • Bolores/fungos
    • Metais
    • Cogumelos
    • Aminas quaternárias
    • Plantas
    • Corantes reativos
    • Produtos naturais à base de plantas
    • Serradura ou cascas de árvores
    • Pólenes
    • Vários produtos químicos
    • Gomas vegetais
    • Aminas alifáticas (etilaminas e outras)

    DPOC OCUPACIONAL

    Pensa-se que 15-20% dos casos de DPOC estejam relacionados com exposições ocupacionais Isto deve-se à exposição a poeiras minerais, gases ou vapores irritantes no ar. Clique na tabela abaixo para ver uma lista de agentes que podem levar a DPOC. 

    Fatores de risco ocupacional para a DPOC – PDF (abre num separador novo)

    CANCRO DO PULMÃO OCUPACIONAL

    Há uma enorme diversidade de indústrias e ocupações que podem aumentar o risco de cancro do pulmão, no entanto a maior parte dos cancros do pulmão ocupacionais são causados pelo amianto. A investigação descobriu vários agentes relacionados com o cancro do pulmão – alguns com evidência limitada e outros com evidência suficiente para sugerir uma relação. 

    Fatores de risco ocupacional para o cancro do pulmão – PDF (abre num separador novo)

    DOENÇA PLEURAL OCUPACIONAL (INCLUINDO MESOTELIOMA)

    A doença pleural está quase exclusivamente relacionada com a exposição ao amianto. Ainda que a utilização de amianto seja agora ilegal, as pessoas que foram expostas à doença enquanto jovens estão a viver com a doença na terceira idade, uma vez que os sintomas da doença podem levar até 50 anos a aparecer. 

    LESÕES AGUDAS POR INALAÇÃO

    Ocorrem devido a um único incidente que resulta numa exposição súbita e de grande dimensão a um determinado material, como por exemplo no caso de um derrame químico, incêndio, explosões de gás ou exposição a grandes quantidades de pó.

    São causadas pela exposição a gases irritantes, como a amónia, ozono ou cloro, substâncias químicas orgânicas, como por exemplo o gás lacrimogéneo ou gás mostarda, compostos metálicos como por exemplo vapor de mercúrio ou fumos de metais, ou misturas complexas de gases e partículas, como por exemplo misturas de solventes ou fumo de incêndio. 

    Fatores de risco ocupacional para lesões agudas por inalação – PDF (abre num separador novo)

    INFEÇÕES OCUPACIONAIS

    Estas infeções ocorrem devido à exposição a bactérias e incluem a tuberculose (TB), febre Q, síndrome respiratória aguda grave (SARS), sarampo e doença do Legionário.

    O principal grupo de pessoas em risco são profissionais de saúde que tratam a doença noutras pessoas. 

    Fatores de risco ocupacional para infeções ocupacionais – PDF (abre num separador novo)

    DOENÇAS PULMONARES INTERSTICIAIS OCUPACIONAIS

    Há várias doenças pulmonares intersticiais raras relacionadas com exposições ocupacionais. Estas doenças são largamente conhecidas como pneumoconiose e incluem causas bem conhecidas, como o carvão, amianto e pó, bem como outras causas menos conhecidas, como a sílica cristalina, titânio e alumínio.

    Outra doença pulmonar intersticial importante é a alveolite alérgica extrínseca, causada por uma reação alérgica a um agente. As causas podem incluir fezes e penas de aves, ar humidificado de sistemas de ar condicionado, bactérias nos vapores de banheiras de água quente e agentes fúngicos, como por exemplo serradura, queijo, fenos, palha ou cereais. 

    Fatores de risco ocupacional para doenças pulmonares intersticiais – PDF (abre num separador novo) 

  • Carga

    A exposição a partículas, gases, vapores ou fumo no local de trabalho é responsável por:

    • 15% do total de cancros respiratórios nos homens e 5% nas mulheres
    • 15-20% do total de casos de asma no adulto
    • 15-20% dos casos de doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC)
    • 10% do total de casos de doença pulmonar intersticial
  • Necessidades atuais e futuras

    Os organismos nacionais e internacionais definem as concentrações máximas admissíveis no local de trabalho para um leque alargado de substâncias. No entanto, estes limites não são normalmente definidos a um nível que consiga evitar que uma pessoa desenvolva alergia a esse agente. No futuro, os limites no local de trabalho devem ter em consideração a que níveis os agentes podem causar alergias, para além de doenças ocupacionais. À medida que se identificam novos agentes, estes devem ser rapidamente regulamentados.

    Se houver previsão de uma determinada doença ocupacional, os profissionais de saúde devem tomar nota de todos os empregos desde que o doente começou a trabalhar, uma vez que algumas doenças são latentes e os sintomas só aparecem ao fim de vários anos.