Abra a seleção de línguaOpen language selection Português Menu Pesquisar
Doar

Alimentação e nutrição

Alimentação e nutrição

A maior parte das doenças respiratórias são causadas por uma interação entre os fatores genéticos e ambientais, como o tabagismo, poluição e alimentação. Há cada vez mais evidências em como a alimentação e nutrição desempenham um papel no desenvolvimento e progressão das doenças pulmonares.

Tanto ser obeso como ter peso a menos podem ter consequências nocivas para a saúde pulmonar.

Infografia da alimentação e nutrição PDF Transfira a nossa infografia para ver os pontos fundamentais sobre a alimentação e nutrição

ERS This material is a summarised version of the European Lung White Book, which can be accessed online.

  • O que é?

    DE QUE FORMA É QUE A ALIMENTAÇÃO AFETA DIFERENTES DOENÇAS? 

    ASMA

    Diversos alimentos e nutrientes podem ter impacto no desenvolvimento e progressão da asma. O efeito também depende de quando a pessoa é exposta a estes alimentos, como por exemplo, durante a primeira infância, a infância ou a idade adulta.

    Estudos sugerem que as vitaminas A, D e E, juntamente com o zinco, frutas e legumes podem proteger do desenvolvimento de asma. Um estudo verificou que níveis baixos de vitamina D aos 6 anos podem predispor a criança a desenvolver asma ou alergias mais tarde durante a vida. Também há evidência crescente em como as pessoas obesas podem ter maior risco de asma. 

    Portanto, recomenda-se uma alimentação equilibrada, com muita fruta, legumes e peixe, para reduzir o risco de desenvolver asma.

    DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÓNICA (DPOC)

    There is growing evidence that some elements of the diet may benefit lung function or improve COPD symptoms. In particular, foods with antioxidant or anti-inflammatory Há cada vez mais evidência de que alguns elementos da alimentação podem beneficiar a função pulmonar ou melhorar os sintomas da DPOC. Os alimentos com propriedades antioxidantes ou anti-inflamatórias podem ser benéficos.

    A investigação sugere que uma ingestão elevada de alimentos altamente processados pode acelerar o declínio da função pulmonar, enquanto que uma alimentação com fruta, legumes, peixe e produtos com cereais integrais pode reduzir a probabilidade de vir a desenvolver DPOC. Outros estudos sugeriram que um aumento na ingestão de fibra pode reduzir a incidência e sintomas da DPOC e que ingerir uma grande quantidade de carnes curadas está associado a internamentos hospitalares mais frequentes devido a DPOC.  

    As pessoas com DPOC grave podem ter dificuldade em manter um peso saudável. Os estudos mostraram que um baixo índice de massa corporal nas pessoas com DPOC é um indicador de mau prognóstico, e que, inversamente, ter um ligeiro excesso de peso pode ter algum efeito protector nos casos graves. Os suplementos nutricionais são muitas vezes administrados como parte da reabilitação pulmonar. 

    CANCRO DO PULMÃO

    Os conhecimentos atuais sugerem que um consumo elevado de fruta e legumes reduz o risco de cancro do pulmão em 20-30% quer nos fumadores quer nos não fumadores.

    No entanto, os estudos sugerem que os suplementos vitamínicos não diminuem o risco de cancro do pulmão.

    FIBROSE QUÍSTICA

    Os investigadores verificaram que a subnutrição pode desempenhar um papel fundamental na fibrose quística (FQ). Os médicos precisam de monitorizar a alimentação e o peso das pessoas com FQ para ajudar a prevenir complicações adicionais. Para os doentes com compromisso da função pancreática, o tratamento com extrato pancreático e uma alimentação rica em calorias são cruciais.

    SÍNDROME DE APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO

    A obesidade é um fator de risco muito importante para a apneia obstrutiva do sono e observa-se em 60–90% das pessoas com esta doença. A perda de peso e as alterações na alimentação podem ser uma maneira eficaz de reduzir os sintomas associados à doença. 

    INFEÇÕES PULMONARES

    As mortes de pessoas com má nutrição grave devem-se muitas vezes a pneumonia e um nível baixo de vitamina D é um fator de risco reconhecido para o desenvolvimento de infeções respiratórias. 

    EMBOLIA PULMONAR

    As pessoas obesas têm um risco aumentado de embolia pulmonar, na qual coágulos sanguíneos bloqueiam um ou mais vasos sanguíneos no pulmão. A perda de peso através de alterações alimentares pode ajudar a reduzir este risco. 

  • Necessidades atuais e futuras

    Ainda que os efeitos da alimentação precisem de estudos adicionais, torna-se claro que as seguintes medidas podem ajudar a manter uma boa saúde pulmonar: 

    • Elevada ingestão de fruta, legumes e peixe
    • Baixa ingestão de sal
    • Restrição da ingestão de gorduras trans e de ácidos gordos ómega-6
    • Manutenção de um índice de massa corporal (IMC) entre 21 e 30
    • Exercício moderado
    • Comer alimentos ricos em antioxidantes
    • Comer alimentos ricos em magnésio, como as nozes, cereais, sementes, cenouras, espinafres e marisco
    • Comer peixes gordos, marisco, soja e legumes de folha verde para assegurar a ingestão do ácido gordo essencial ómega-3

    No futuro:

    • É necessária mais investigação sobre o impacto da alimentação nas doenças pulmonares
    • É necessária uma maior sensibilização do público quanto ao impacto da alimentação nas doenças pulmonares
    • As autoridades de saúde devem assegurar o rastreio do estado nutricional e a sensibilização para o excesso e a falta de peso