Abra a seleção de línguaOpen language selection Português Menu Pesquisar
Doar

Infeções agudas das vias respiratórias inferiores

Infeções agudas das vias respiratórias inferiores

As infeções agudas das vias respiratórias inferiores incluem a pneumonia (infeção dos alvéolos pulmonares), bem como infeções que afetam as vias respiratórias, como a bronquite aguda e a bronquiolite, gripe e tosse convulsa. São a principal causa de doença e mortalidade de crianças e adultos em todo o mundo. A importância das infeções das vias respiratórias inferiores pode estar a ser subestimada.

 

Infografia das infeções agudas das vias respiratórias inferiores PDF Descarregue a nossa infografia para ver os pontos fundamentais sobre as infeções agudas das vias respiratórias inferiores

ERS This material is a summarised version of the European Lung White Book, which can be accessed online.

  • Doenças

    As principais infeções incluem:

    BRONQUITE AGUDA E BRONQUIOLITE

    A bronquite aguda é uma infeção de curta duração dos brônquios das vias respiratórias, que afeta entre 30-50 pessoas em cada 1000, por ano.

    A bronquiolite é uma infeção das vias respiratórias inferiores (bronquíolos), que afeta bebés e crianças com idade inferior a 2 anos. É a causa mais frequente de internamento hospitalar para os bebés com idade inferior a 1 ano..

    GRIPE

    A gripe ocorre em epidemias anuais e ocasionalmente em pandemias, onde o surto abrange uma área geográfica ainda maior. As formas mais graves desta infeção são vistos em pessoas com idade superior a 65 anos, crianças com idade inferior a 2 anos e pessoas de qualquer idade com certas condições médicas presentes. Existem várias condições subjacentes que podem aumentar o risco de hospitalização por causa da gripe. Estas incluem diabetes e doenças cardíacas, pulmonares e neurológicas, incluindo a asma.

    PNEUMONIA

    A pneumonia é uma infeção do pulmão, a causa de morte mais frequente devido a infeção na Europa e nos EUA. Causa sintomas durante 3-4 semanas e é mais frequente nas crianças muito pequenas e nos idosos. Há três tipos de pneumonia:

    • A pneumonia adquirida na comunidade (PAC), que é contraída entrando em contacto com a infeção nas situações do dia a dia
    • Pneumonia adquirida no hospital, que é contraída após passar algum tempo internado no hospital
    • A pneumonia associada ao ventilador (PAV), que é contraída após um procedimento chamado entubação endotraqueal, quando se introduz um tubo na traqueia para ajudar alguém a respirar
  • Sintomas

    BRONQUITE AGUDA E BRONQUIOLITE

    O principal sintoma da bronquite aguda é uma tosse que não consegue explicar-se através de uma doença pulmonar crónica já existente.

    A bronquiolite faz com que os bebés e crianças pequenas tenham sintomas prolongados de pieira e tosse, que podem permanecer semanas e meses após os primeiros sintomas.

    GRIPE

    A forma habitual da gripe pode resultar em sintomas de febre, dores musculares, dor de cabeça, tosse, garganta inflamada e nariz entupido. Se a infeção for mais grave, pode levar a uma pneumonia.

    PNEUMONIA

    As pessoas com pneumonia apresentam tosse juntamente com outros sintomas, como por exemplo febre ou falta de ar sem uma causa evidente. 

  • Causas

    As infeções são causadas por organismos minúsculos, chamados bactérias ou vírus. Há milhões de organismos à nossa volta.

    Os vírus são transportados em gotículas minúsculas e transmitidos de pessoa para pessoa quando alguém com o vírus tosse ou espirra. As pessoas que estão infetadas produzem anticorpos para combater o vírus. Depois de combaterem uma determinada estirpe, estes anticorpos vão conseguir lutar contra ela se forem infetadas outra vez. No entanto, ao longo do tempo, o vírus pode mudar para formas diferentes, o que significa que o corpo pode não ter os anticorpos certos para o combater outra vez.

    BRONQUITE AGUDA E BRONQUIOLITE

    Quase 90% dos casos de bronquite aguda estão relacionados com vírus, como por exemplo o vírus influenza e o rinovírus. Menos de 10% estão relacionadas com bactérias.

    A bronquiolite nos bebés e crianças pequenas é causada mais frequentemente pelo vírus sincicial respiratório (VSR).

    GRIPE

    Há três vírus da gripe (influenza), A, B e C. O vírus A é o que tem maior impacto, o B causa doença menos grave e o C não causa nenhuma doença no ser humano.

    Quando se desenvolve uma nova estirpe à qual as pessoas não têm resistência, pode propagar-se por todo o mundo. Foi o que aconteceu durante o surto de “gripe suína” em 2009.

    PNEUMONIA

    A causa mais frequente de pneumonia nos adultos é uma bactéria chamada Streptococcus pneumonia. Os vírus também podem causar pneumonia, mais frequentemente o vírus sincicial respiratório (VSR) nas crianças pequenas, e por vezes o vírus influenza. A pneumonia adquirida no hospital é causada por micróbios num hospital, enquanto a pneumonia adquirida na comunidade é causada por diferentes micróbios na comunidade.

  • Prevenção

    A melhor forma de prevenir as infeções é através da vacinação. A vacinação contra a pneumonia e a gripe é frequentemente administrada aos grupos de pessoas que se encontram em maior risco, como por exemplo os idosos ou as pessoas muito jovens.Atualmente, não há nenhuma vacina disponível para o vírus sincicial respiratório (VSR) mas a investigação a decorrer está a procurar uma forma de a desenvolver.

  • Tratamento

    Uma das formas de tratar uma infeção é através de medicamentos chamados antibióticos. Os antibióticos só devem ser receitados quando necessário, senão pode desenvolver-se resistência aos antibióticos.

    A resistência aos antibióticos acontece quando as bactérias são regularmente expostas ao mesmo medicamento ao longo do tempo e acabam por sofrer mutações e por desenvolver resistência a esse medicamento. Utilizar antibióticos desnecessariamente para tratar doenças ligeiras acelera mais o problema da resistência aos antibióticos do que se os medicamentos só fossem utilizados nos casos graves.

    BRONQUITE AGUDA E BRONQUIOLITE

    As pessoas que suspeitam que tenham bronquite não precisam de ir ao médico para terem um diagnóstico, a menos que tenham sintomas graves ou persistentes. A maioria dos casos de bronquite aguda não precisa de medicamentos para tratar a doença e os sintomas conseguem controlar-se em casa, ficando em repouso e bebendo líquidos. Os antibióticos não têm efeito sobre os vírus e portanto não são receitados para tratar a bronquite aguda.

    A bronquiolite é diagnosticada através da monitorização dos sintomas e da análise da respiração da criança. Os bebés infetados com vírus sincicial respiratório (VSR) geralmente precisam de cuidados de suporte mas não de medicação. Nos casos extremamente graves, são-lhes administrados medicamentos antivirais.

    GRIPE

    As pessoas saudáveis e em forma não precisam de ir ao médico para diagnosticar uma gripe. Geralmente é possível tratar os sintomas da gripe em casa, com repouso e bebendo muita água. Também se utilizam medicamentos antivirais para tratar a gripe no caso das pessoas que se encontram em risco de ter outras complicações. Um médico irá diagnosticar a gripe com base nos sintomas e na história médica, se uma pessoa estiver em risco.

    PNEUMONIA

    Pode utilizar-se uma radiografia para verificar a presença de pneumonia e é provável que esta mostre sombras nos pulmões se estiver presente uma infeção. Utilizam-se antibióticos para tratar a pneumonia e devem utilizar-se diferentes abordagens consoante o risco da pessoa e a gravidade da doença.

  • Carga

    • A bronquiolite é a causa mais frequente de internamento hospitalar nos primeiros 12 meses de vida
    • Os vírus da gripe afetam até 20% da população global todos os anos
    • Mais de 90% das mortes relacionadas com gripe ocorrem nos doentes idosos
    • Na Europa, observam-se cerca de 16 500 000 casos de bronquite aguda todos os anos
    • Nas crianças, as infeções respiratórias agudas são responsáveis por quase 50% das consultas médicas e das hospitalizações
    • Na União Europeia (UE), são esperados todos os anos cerca de 3 370 000 casos de pneumonia 
    • Há cerca de 1 milhão de admissões hospitalares todos os anos por causa de pneumonia adquirida na comunidade na UE

    Percentagens agregadas de doença de tipo gripal registadas semanalmente para 25 estados-membros da União Europeia, desde a semana 40 de 2008 até à semana 34 de 2010. Os dados para cada país são apresentados sob a forma de percentagem de casos registados numa determinada semana relativamente ao total de casos ao longo de todo o período de 100 semanas

  • Necessidades atuais e futuras

    • A utilização adequada de antibióticos é de importância vital para ajudar a parar casos de infeções que sejam resistentes à utilização de antibióticos
    • Há a necessidade de desenvolver vacinas novas ou mais eficazes contra as infeções pulmonares e os vírus
    • Terão de desenvolver-se novas estratégias terapêuticas contra as bactérias resistentes aos medicamentos