Open language selectionOpen language selection Português Menu Search
Doar

Cancro do pulmão

Cancro do pulmão

O cancro do pulmão é um cancro da traqueia (tubo na garganta, por onde entra o ar), dos brônquios (vias respiratórias) ou das bolsas de ar nos pulmões (alvéolos).

O cancro do pulmão era uma doença rara no início do século XX, mas o aumento na exposição ao fumo de tabaco e a outros fatores desencadeadores da doença contribuíram para uma pandemia nos séculos XX e XXI.

O cancro do pulmão é agora a principal causa de morte por cancro em todo o mundo, tanto nos homens como nas mulheres. As taxas de sobrevivência variam consoante o tipo de células do cancro e de qual o estadio no qual a doença foi diagnosticada. A investigação mostrou que, em média, apenas 12,6% das pessoas com cancro do pulmão estão vivas 5 anos após o diagnóstico. 

Infografia do cancro do pulmão PDF Descarregue a nossa infografia para ver os pontos fundamentais sobre o cancro do pulmão

ERS This material is a summarised version of the European Lung White Book, which can be accessed online.

  • Sintomas

    Os sintomas e sinais mais frequentes do cancro do pulmão são:

    • Tosse
    • Perda de peso
    • Falta de ar
    • Dor torácica
    • Dor óssea
    • Tossir sangue
    • Voz rouca
    • Dedos das mãos e dos pés com formato quadrado, ou inchados
  • Causas

    O fumo de tabaco é responsável por mais de 80% do total de casos de cancro do pulmão. Outras causas incluem a exposição a: 

    • Rádon
    • Berílio
    • Crómio
    • Gases de combustão do gasóleo
    • Poluição do ar
    • Amianto
    • Arsénio
    • Fumo de carvão
    • Emissões de outros combustíveis dentro dos edifícios

    As pessoas com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), fibrose pulmonar, cancro da cabeça, pescoço ou esófago, ou cancro da mama também estão em maior risco de desenvolver a doença.

    As pessoas também podem ter uma suscetibilidade genética ao cancro do pulmão e se houver antecedentes familiares da doença, terão maior probabilidade de desenvolver a doença. 

  • Prevenção

    Parar de fumar é o método mais eficiente para prevenir o desenvolvimento de cancro do pulmão. As tentativas de reduzir o tabagismo no mundo ocidental foram relativamente bem-sucedidas, mas em alguns países ainda é necessário mais trabalho para transmitir às pessoas os efeitos nocivos do tabagismo. Também são necessárias políticas uniformes para banir o fumo em locais públicos, para ajudar a reduzir os efeitos do tabagismo passivo.

    Quando o amianto se combina com o fumo de tabaco, o risco de desenvolver cancro do pulmão é 40 vezes mais elevado. É urgentemente necessária uma proibição mundial da utilização de amianto para ajudar a prevenir este risco. 

  • Tratamento

    Utilizam-se exames TC para diagnosticar o cancro do pulmão. Em 2011, o Ensaio Nacional de Rastreio Pulmonar (NLST) nos EUA demonstrou que o rastreio com a utilização de TC de dose baixa reduzia a mortalidade do cancro devida ao pulmão em 20%.

    Em 90% dos casos, não é possível fazer tratamento para curar o cancro do pulmão porque este é detetado tarde. Os peritos compreendem agora que há diferentes tipos de cancro do pulmão. Isto significa que os tratamentos podem ser adaptados de acordo com cada indivíduo e com o tipo de doença que apresenta.

    As principais formas de tratamento incluem cirurgia, quimioterapia e radioterapia. 

    CIRURGIA

    Desenvolveram-se novas técnicas, menos invasivas para o doente, para tentar extrair o cancro. Estas técnicas incluem a cirurgia de “buraco de fechadura”, chamada cirurgia torácica assistida por vídeo (VATS). A cirurgia é realizada através de uma pequena incisão na pele, o que constitui uma operação muito menos grave do que a cirurgia tradicional para extrair um tumor. Uma vez que é uma operação de menor dimensão, os doentes recuperam mais rapidamente e é possível que mais doentes sejam submetidos a cirurgia. 

    QUIMIOTERAPIA

    Uma vez que os doentes com diferentes tipos de cancro do pulmão respondem de forma diferente à cirurgia, é possível adaptar a quimioterapia ao tipo de tumor que a pessoa tem. À medida que os peritos foram compreendendo melhor a biologia do cancro do pulmão, conseguiram também desenvolver novos medicamentos que têm como alvo partes específicas do cancro. Por exemplo, verificou-se que os inibidores da tirosina cinase, como o erlotinib ou gefitinib, são particularmente benéficos para as pessoas com alguns cancros do pulmão avançados. 

    RADIOTERAPIA

    Desenvolveram-se técnicas modernas de radioterapia para reduzir os danos causados às áreas em redor do tumor. As novas técnicas permitiram que as pessoas com uma função pulmonar fraca, às quais anteriormente se aconselhava a que não fizessem radioterapia, também recebessem radioterapia.

  • Carga

    • Em 2008, havia uma estimativa de 1,56 milhões de novos casos de cancro do pulmão em todo o mundo, representando 12,7% do total de novos cancros
    • Mais de um quarto dos casos de cancro do pulmão ocorrem nas pessoas com menos de 60 anos
    • O cancro do pulmão é responsável pela perda de 1,4 milhões de anos de vida ajustados à incapacidade (DALY), que consistem na soma dos anos de vida potencial perdidos devido a morte prematura e dos anos de vida produtiva perdidos devido à incapacidade
    • O cancro do pulmão é a principal causa de morte devido a cancro em todo o mundo, com 1,38 milhões em 2008
    • Os homens são afetados mais frequentemente em todo o mundo, com 1,1 milhões de casos em 2008, em comparação com 0,5 milhões nas mulheres
    • Na Europa, a taxa de sobrevivência global aos 5 anos após o diagnóstico é de 11,2% nos homens e de 13,9 nas mulheres



    Taxa de mortalidade para o cancro do pulmão. Dados das Bases de Dados de Mortalidade Detalhada na Europa e no Mundo, da Organização Mundial de Saúde, atualização de novembro de 2011

  • Necessidades atuais e futuras

    A principal área de ação é, para além da prevenção do tabagismo, o prolongamento da sobrevivência e a melhoria da qualidade de vida para as pessoas com cancro do pulmão.

    • Dado que o tabagismo é a principal causa do cancro do pulmão, as medidas de controlo do tabaco, como a prevenção do tabagismo e a cessação do tabagismo, continuam a ser os métodos mais eficazes para reduzir a incidência do cancro do pulmão
    • São necessárias proibições de fumar em locais públicos, para ajudar a reduzir os efeitos do tabagismo passivo
    • É urgentemente necessária uma proibição mundial da utilização de amianto para ajudar a prevenir o desenvolvimento de cancro do pulmão
    • São necessárias novas técnicas que ajudem os médicos a compreender qual o estadio para o qual o cancro do pulmão se desenvolveu, para ajudar a reduzir os internamentos hospitalares e para acelerar as decisões sobre o tratamento
    • É necessária mais investigação para refinar as técnicas de radioterapia e para identificar marcadores para o cancro do pulmão, para assegurar um diagnóstico precoce
    • O rastreio de pessoas que se pensa estarem em risco elevado de desenvolverem cancro do pulmão pode levar à deteção da doença num estadio inicial, enquanto ainda é curável
    • É necessária uma base de dados bem organizada e fiável de casos de cancro do pulmão, para permitir que sejam identificadas tendências, bem como investigação ao nível da saúde pública para olhar para as diferenças na sobrevivência em diferentes países
    • Precisa de haver uma melhor compreensão do cancro do pulmão em pessoas que nunca fumaram